A crise na Catalunha está a ter efeitos negativos na economia regional. Abriram menos 12% de empresas em outubro, comparando com um ano antes.

Trata-se, mesmo, da maior diminuição verificada numa comunidade autónoma espanhola, segundo um relatório da empresa Informa D&B , que foi esta segunda-feira divulgado pela agência Efe.

O estudo contabiliza um total de 7.189 novas empresas criadas em Espanha no mês passado, o que significa uma diminuição de 2% em relação ao mesmo mês de 2016.

As comunidades autónomas que mais sociedades novas acumularam em outubro foram:

Madrid 1.624 empresas + 2%
Catalunha 1.298 - 12%
Andaluzia 1.216 - 4%

A região mais rica de Espanha quer um cenário que a UE nunca viu. Tudo começou com o referendo de 1 de outubro, marcado por episódios de violência e pela vitória do "sim" à independência. Foi um escrutínio considerado ilegal por Madrid.

O conflito entre Madrid e Barcelona arrasta-se há várias décadas. Há muito que os separatistas reclamam um referendo sobre a independência da região que, recorde-se, é a mais rica de Espanha - um PIB de cerca de 200 mil milhões de euros, apesar de per capita ser o quarto mais elevado.

A Catalunha, com cerca de 7,5 milhões de habitantes e um terço da área de Portugal, é responsável por 20% do PIB espanhol. 

O Governo espanhol convocou eleições na Catalunha para 21 de dezembro, depois de ter decidido aplicar o artigo 155 da Constituição, que suspende a autonomia da região. O executivo regional foi destituído e o parlamento regional dissolvido.