Pelo menos 15 pessoas morreram no sudeste da Sibéria devido a incêndios deflagrados no domingo alegadamente pelas elevadas temperaturas e ventos fortes, informaram esta segunda-feira as autoridades.

Setenta e sete pessoas foram hospitalizadas, oito das quais em estado grave, afirmou a porta-voz governamental Irina Emelianova, acrescentando que uma pessoa estava desaparecida.

Quase 500 pessoas receberam alta após receberem os primeiros socorros por queimaduras leves e sintomas de asfixia.

Segundo o Ministério russo do Interior, os incêndios que foram extintos quase na sua totalidade, destruíram 1.034 casas, obrigando à retirada de mais de 900 pessoas.

O governo russo ordenou no domingo a criação de um regime especial anti-incêndios em todas as regiões da Sibéria.