Os dois membros do governo marroquino envolvidos num escândalo de poligamia apresentaram a sua demissão, que foi aceite pelo rei Mohamed VI, segundo um comunicado da Casa Real.

Tratam-se do ministro das Relações com o Parlamento e a Sociedade Civil, Lahbib Choubani, e da sua companheira, a secretária de Estado do Ensino Superior, Soumaya Benjaldún, que se previam casar, se bem que aquele já esteja casado, uma vez que a lei marroquina, inspirada no Corão, permite a um homem ter quatro esposas.

O comunicado não refere as razões da demissão destes membros do governo, que alimentam há mais de duas semanas os títulos de vários órgãos de comunicação escrita e digital, escreve a Lusa.