Cinco homens procurados na sequência da explosão num templo hindu no sul da Índia, que fez mais de 100 mortos, entregaram-se à polícia, informou fonte oficial.

A explosão, durante um espetáculo de fogo-de-artifício, ocorreu na noite de sábado quando milhares de indianos celebravam o festival Vishu num templo hindu de Puttingal Deva, no estado de Kerala.

A polícia tem estado à procura de cinco homens que desapareceram depois da tragédia, a quem foram entretanto imputadas acusações preliminares.

Os cinco acusados que foram citados no FIR (relatório preliminar) entregaram-se", disse o chefe da divisão criminal da polícia de Kerala à agência AFP, indicando que vão ser interrogados e formalmente presos ainda durante o dia de hoje.

O Tribunal Superior de Kerala deve realizar, esta terça-feira, uma audiência para considerar a possibilidade de banir imediatamente espetáculos de fogo-de-artifício de grandes dimensões em todos os templos do estado, reportou o canal NDTV.

O Governo de Kerala ordenou a abertura de um inquérito ao acidente de sábado.

Na segunda-feira, cinco trabalhadores tinham já sido detidos para interrogatório para a polícia apurar "o seu eventual envolvimento" e tomar "medidas adicionais".

Mais de uma centena de pessoas morreram no incêndio de grande dimensão num templo no sul da Índia onde decorriam celebrações com fogo-de-artifício.

O incêndio deflagrou quando fiéis se reuniram para celebrar o festival Vishu, no templo Puttingal.