A justiça argelina condenou um bloguista a seis anos de prisão efetiva por «injúrias graves» contra o exército, pena esgotada nos sete meses que o condenado passou em detenção preventiva, noticiaram esta quinta-feira os jornais.

O procurador pediu na quarta-feira dez anos de prisão efetiva para o acusado, julgado pelo tribunal criminal (tribunal de primeira instância) de Argel, perante o qual «não se arrependeu» dos atos.

Abdelghani Alui, de 25 anos, foi condenado por «injúrias graves», mas foi absolvido na acusação de «defesa de atos terroristas contra os símbolos da República».

A defesa pediu a libertação, com base no direito de expressão, consagrado na Constituição argelina.

O acusado foi julgado por ter criado, em novembro de 2012, uma página na rede social Facebook chamada «Exército Argelino Eletrónico Livre» sob o pseudónimo «Admin1».

De acordo com o acórdão, citado pela imprensa, Abdelghani Alui publicou fotografias e palavras de ordem «a glorificar o terrorismo e vídeos nos quais fala de califado e de [Usama] Bin Laden», antigo líder da rede terrorista Al-Qaida.