O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decretou que esta sexta-feira, sábado e domingo são dias nacionais de oração em homenagem das vítimas do atentado de 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque e Washington. Esta sexta-feira assinala-se o 14º aniversário dos atentados às Torres Gémeas.

“Eu, Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos, em virtude da autoridade que me confere a Constituição e as leis dos Estados Unidos, proclamo, de sexta-feira, 11, até domingo, 13 de setembro, três dias de oração e comemoração nacional”, indicou, num comunicado emitido na quinta-feira.

Obama apelou aos norte-americanos que recordem as vítimas, através de "orações, contemplação e visitas a locais de homenagem".

“Peço aos norte-americanos que honrem e recordem as vítimas do 11 de setembro de 2001 e os seus seres queridos através de orações, contemplação, memoriais, visitas a locais de homenagem, do tocar dos sinos, vigílias às luz de velas e outras cerimónias e homenagens apropriadas.”


Foi há 14 anos que o mundo parou e assistiu, perplexo, às imagens de uma página negra da história. Cerca de três mil pessoas morreram.
 
Eram 8:46 em Nova Iorque quando o avião do voo 11 da American Airlines atingiu a torre norte do World Trade Center. Depois,um outro, o voo 175 da mesma companhia, embateu na torre sul.
 
Cerca de meia hora depois, mais um atentado, em Washington. O voo 77, da American Airlines, caiu no Pentágono.
 
Seguiu-se o voo 93 da United Airlines, que se despenhou numa área rural do estado da Pensilvânia, desviado do alvo inicial pelos passageiros que retomavam o controlo do avião.
 
Os atentados foram perpetrados por 19 sequestradores, ligados à Al-Qaeda de Osama Bin-Laden. 

Os EUA responderam aos ataques com uma "guerra ao terror". Primeiro no Afeganistão em 2001, dois anos depois no Iraque.
 
Em maio de 2011, Barack Obama anunciou a morte de Osama Bin-Laden, abatido numa operação secreta das forças norte-americanas num complexo residencial em Abottabad, no Paquistão.