O presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que condena "todos os tipos de racismo e os atos violentos", apelando à unidade nacional, um ano após uma manifestação neonazi em Charlottesville que acabou em violência.

"A manifestação de Charlottesville, há um ano, levou à morte e a divisões sem sentido", escreveu Donald Trump na rede social Twitter, depois de ter sido bastante criticado por nunca ter condenado claramente os manifestantes neonazis, após os acontecimentos de agosto de 2017.

"Devemos unir-nos como nação", defendeu Trump, numa altura em que os manifestantes neonazis têm previsto manifestar-se no domingo em frente à Casa Branca.

O Presidente acrescentou: "Paz para todos os americanos".

Há um ano, a manifestação de Charlottesville (Virgínia) para protestar contra a retirada da estátua do general confederado Robert E. Lee acabou em confrontos entre supremacistas brancos e manifestantes contra o racismo.

Uma mulher de 32 anos acabou por morrer atropelada por um carro conduzido por um simpatizante de extrema-direita e 19 pessoas ficaram feridas.

Neste primeiro aniversário dos acontecimentos, o mesmo grupo "Unite the Right" prevê uma nova concentração, no domingo, mas em Washington, nas imediações da Casa Branca.

Foi montado um significativo dispositivo policial, estando também prevista uma contramanifestação no local. As autoridades querem impedir que os dois grupos entrem em contacto.

Em Charlottesville, as autoridades também adotaram medidas de segurança no local onde tiveram lugar os incidentes de 12 de agosto de 2017.