Nove pessoas foram resgatadas do mar da Florida graças a 80 banhistas que deram as mãos para os ajudar a regressar a terra. Segundo a CNN, Roberta Ursey, que estava na praia de Panamá City, deixou de ver os filhos a partir da areia. Ao procurá-los, reparou que os rapazes, de 8 e 11 anos, estavam a gritar e a chorar dentro de água.

A mãe e a família correram para os resgatar, mas foram apanhados pela corrente e, no final, nove pessoas acabaram presas dentro do mar sem conseguirem regressar a terra. Para chamar à atenção de quem estava na areia, o grupo começou a gritar e a abanar os braços no ar. 

As pessoas viram que o grupo tinha ficado preso e chamaram os serviços de emergência. Assim que a polícia chegou à praia, rapidamente um agente se atirou à água. No entanto, teve de regressar a terra porque não conseguia chegar ao grupo.

Os banhistas decidiram então criar um cordão humano para tentar resgatar a família e com a ajuda de pranchas - e sem largar as mãos - conseguiram resgatar o grupo.  Os rapazes foram os primeiros a ser salvos, seguidos de Roberta Ursey e da mãe desta-

Vi um grupo de pessoas, poucas no início, e depois mais e mais, a começarem a formar um cordão humano", revelou Rosalind Beckton, que tirou as fotografias do momento, à CNN.

No total, entre 70 a 80 estranhos deram as mãos para conseguir puxar o grupo para terra firme. Com sucesso.

Segundo Rosalind Beckton, primeiro pensou que "estava um tubarão na água".

Então, comecei a gritar para o meu filho sair da água e nadar até à areia", contou a testemunha, acrescentando que rapidamente percebeu que as ondas estavam a empurrar o grupo cada vez para mais longe. "As ondas eram muito pesadas, grandes e fortes".