A coligação internacional liderada pelos Estados Unidos bombardeou, nesta segunda-feira, uma reserva de dinheiro do grupo extremista Estado Islâmico em Mossul, no norte do Iraque, contendo o equivalente a "milhões de dólares", revelou um responsável norte-americano.

As reservas atingidas pelo ataque eram "provavelmente dinares" iraquianos e provinham de "atividades ilegais" do Estado Islâmico, como o contrabando de petróleo, a "pilhagem" e a "extorsão", indicou a mesma fonte, acrescentando que a organização extremista "é obrigada a fazer todas as transações em dinheiro".

Não foi a primeira vez que a coligação bombardeou este tipo de reservas financeiras, mas esta foi a maior a ser visada, tendo sido utilizadas no ataque duas bombas de 900 quilos.