O furacão Irma já fez pelo menos um morto confirmado no estado norte-americano da Flórida, mas a comunicação social fala já em três vítimas mortais. A tempestade que, durante a madrugada voltou a ganhar força e subiu para categoria 4, desceu agora outra vez para intensidade 3, noticia a Reuters, que cita o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

Os serviços de meteorologia norte-americanos realçam que, mesmo assim, o furacão se mantém “extremamente violento”. Os ventos reduziram de 215 quilómetros para 195 quilómetros por hora.

O "olho" do furacão chegou ao arquipélago de Florida Keys, no extremo sul da Flórida, passava pouco das 12:00 em Lisboa (07:00, hora local).

O furacão atingiu a Flórida com ventos na ordem dos 215 quilómetros por hora, segundo o Centro de Furacões norte-americano (NHC, na sigla em inglês).

Já há um morto confirmado pela polícia local: um homem morreu em Florida Keys, quando conduzia uma carrinha de caixa aberta no meio da tempestade. A ABC News, porém, avança que a tempestade já fez três mortos. Os outros dois mortos terão morrido num choque frontal.

 

O furacão desloca-se lentamente para a costa oeste da Florida continental a 15 quilómetros por hora.

Mais de 6,3 milhões de pessoas receberam ordem para abandonarem as suas casas perante a tempestade "mais catastrófica" que o estado já viu. Muitas fugiram e outras procuraram refúgio em abrigos disponibilizados pelas autoridades locais.

Há perto de 800.000 casas sem eletricidade. 

Nas redes sociais, há imagens e vídeos que ilustram a força da tempestade em vários pontos da Flórida.

O furacão, que desencadeou uma das maiores evacuações na história dos Estados Unidos, deverá causar milhões de dólares em prejuízos, no terceiro estado mais populoso do país e que é também uma zona muito procurada pelos turistas. 

O Irma é a mais forte tempestade alguma vez gerada no Atlântico e deixou um rasto de destruição nas Caraíbas. Há pelo menos 25 mortos.

Em Cuba, o furacão arrancou telhados de casas e inundou centenas de quilómetros de costa.