O Governo da Hungria propôs, esta sexta-feira, que seja declarado o estado de emergência por causa da crise de refugiados. O Ministério do Interior pondera que a medida seja seja declarada a partir do próximo dia 15, terça-feira, devido ao movimento maciço de migrantes no país.

De acordo com a Reuters, que cita o chefe de gabinete do primeiro-ministro Viktor Orbán, a declaração do estado de emergência está prevista em propostas aprovadas na semana passada pelo Parlamento em Budapeste e deverá ser levada a votação no dia 15 de setembro.

As propostas em causa, além da declaração do estado de crise, passam a considerar crime a transposição do muro que está em construção na fronteira, além de permitir acelerar os procedimentos de registo de refugiados à entrada do país, acrescenta a Reuters.

Desde o início do ano, mais de 160 mil pessoas, entre migrantes e refugiados chegados do Médio Oriente, Ásia e África, chegaram à Hungria este ano, com destino aos países mais ricos da Europa, sobretudo a Alemanha.

A empresa de caminhos-de-ferro austríaca anunciou, esta quinta-feira, a suspensão das ligações com a Hungria, por causa da "congestão em massa" provocada pelo grande fluxo de migrantes. Até ordem em contrário, as ligações na Áustria estão cortadas e não há linhas ferroviárias para que os refugiados se desloquem.