O presidente do parlamento polaco, Radoslaw Sirkoski, e três ministros do Governo de centro-direita decidiram demitir-se após a publicação na internet de atas judiciais sobre o caso de escutas telefónicas ilegais, anunciou a primeira-ministra, Ewa Kopacz.

Os três ministros são Bartosz Arlukowicz (Saúde), Andrzej Biernat (Desporto) e Wlodzimierz Karpinski (Tesouro), precisou Kopacz em declarações aos meios de comunicação social. As demissões ocorrem apenas a quatro meses das eleições legislativas.

Zbigniew Stonoga, um empresário que se envolveu na política, publicou esta semana na sua página do Facebook 2.500 páginas de dossiers de uma investigação sobre um caso de escutas ilegais com conversas comprometedoras entre altos responsáveis da vida política e económica do país, incluindo os quatro demissionários, e que remontam a 2014.