Um avião de combate F16 israelita foi abatido pela Síria, naquele que é já considerado o mais grave incidente dos últimos anos a envolver Israel, Irão e Síria. O acidente aconteceu depois de um drone, proveniente de território sírio, ter sido intercetado. As primeiras informações davam conta que o avião se tinha despenhado.

O F16 do exército de Israel foi derrubado pela Síria quando os caças atacavam alvos iranianos no país vizinho, o que aconteceu, então, em resposta à incursão de um drone iraniano em espaço aéreo israelita, pelas últimas informações que chegaram às agências internacionais.

O avião caiu em território israelita. Os pilotos, um deles em estado grave, foram transportados para um centro de saúde.

O exército de israel vê os ataques iranianos e a resposta síria como uma violação grave e irregular da soberania israelita. Por isso, já lançou um ataque em grande escala contra alvos iranianos na Síria e o sistema de defesa antiaéreo daquele país.

Entretanto, e contrariando essa informação avançada, a aliança militar do lado do regime de Assad na Síria diz que é uma "mentira" que o drone tenha entrado no espaço aéreo israelita e que os drones estão, sim, a ser utilizados contra o Estado Islâmico.

Pela manhã, um porta-voz militar, o tenente Jonathan Conricus, afirmou no Twitter que "as Forças de Defesa Israelitas bombardearam sistemas de controlo iranianos na Síria que tinham enviado o drone (aeronave não-pilotada) para o espaço aéreo israelita”

Disparos intensos da defesa antiaérea síria, um F16 despenhou-se em Israel, pilotos sãos e salvos”.

Um comunicado do exército precisou que as forças israelitas tinham identificado um "drone iraniano" lançado da Síria e o tinham intercetado no espaço aéreo israelita com um helicóptero de combate.

A polícia anunciou que o F16 se despenhou na região do vale de Jezreel, a leste da cidade de Haifa, no norte de Israel.

“O Irão é responsável por esta grave violação da soberania israelita”, declarou ainda o porta-voz Jonathan Conricus no Twitter.

Moscovo pede "contenção"

A Rússia apelou, entretanto, a todas as partes "contenção" na Síria e considerou "completamente inaceitável" pôr em perigo a vida de soldados russos, na sequência dos ataques aéreos israelitas.

"Apelamos com insistência a todas as partes envolvidas para se conterem e evitarem qualquer ato que possa complicar ainda a situação", declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros russo num comunicado.

No comunicado, Moscovo sublinha que recebeu "com grande preocupação os ataques à Síria" e que está sobretudo preocupado com "uma escalada tanto dentro como em torno das zonas de baixa de tensão na Síria, que foram um fator importante para a diminuição da violência em território sírio".

Por outro lado, no comunicado, Moscovo indica a necessidade de respeitar de maneira incondicional a soberania e a integridade territorial da Síria e de outros países da região. "É absolutamente inaceitável criar ameaças contra a vida e a segurança dos soldados russos" que estão na Síria.