“A situação é urgente. Mas se agirmos agora podemos salvar vidas”, disse o diretor da UNICEF para a Ásia Oriental, Daniel Toole, salientando a importância do destacamento de especialistas e de recolocação da ajuda humanitária.