Pelo menos 22 pessoas morreram em conflitos entre berberes e árabes no sul da Argélia, o mais elevado número de fatalidades em dois anos de frequentes confrontos entre as comunidades, informou a agência do país, APS, na quarta-feira.

Casas, lojas, edifícios públicos, carros e palmeiras foram incendiados na região de Guerrara e na sua principal cidade, Ghardaia, a 600 quilómetros de Argel.

O Presidente Abdelaziz Bouteflika convocou uma reunião de emergência, em que encarregou o comandante regional de “supervisionar as ações dos serviços de segurança e autoridades locais para restabelecer a ordem pública”.