A empresa de cosméticos Lancôme reabriu hoje as suas lojas em Hong Kong, depois de ter fechado portas na véspera devido a protestos por a marca ter cancelado um concerto da cantora local crítica da China Denise Ho.

Segundo o jornal South China Morning Post, Denise Ho instou na sua página no Facebook toda a gente a erguer-se contra o que chamou de “terror branco que se tem vindo a espalhar” pela sociedade e a lutar pela liberdade de expressão.

A cantora Denise Ho pediu na terça-feira explicações à marca francesa por a Lancôme, que pertende ao grupo L'Oréal, lhe ter cancelado um concerto, alegadamente devido às suas convicções políticas.

O concerto promocional, agendado para dia 19, foi cancelado após reações negativas nas redes sociais da China continental ao apoio de Ho ao Tibete e a movimentos pró-democracia como o Occupy Central (de Hong Kong).

Em comunicado, Ho considerou a situação “extremamente lamentável”, indicando estar a ser castigada por defender os seus direitos e afirmar as suas convicções.