O Nobel da Paz só vai ser conhecido sexta-feira, às 10:00, quando o Comité responsável pela escolha revelar o seu nome.

Ao contrário de outros, no Nobel da Paz os nomes dos candidatos são desconhecidos e as listas, com todos os nomes, só são divulgadas 50 anos depois do prémio ser atribuído. Ou seja, só em 2065 vamos saber quem eram os candidatos ao prémio de 2015.

Os únicos factos conhecidos é que, este ano, há 273 candidatos: 68 organizações e 205 individualidades.

Apesar dos nomes serem uma incógnita, todos os anos se especula sobre os prováveis vencedores. Este ano não é excepção.

Entre os nomes mais falados encontramos, por exemplo, o Papa Francisco e a chanceler alemã, Angela Merkel.

Deixamos-lhe aqui uma lista de dez possíveis vencedores.

1 – Papa Francisco



De acordo com o site de apostas Betfair, o grande favorito é o Papa Francisco, o primeiro Papa não europeu da era moderna.

Trouxe uma lufada de ar fresco ao Vaticano e à Igreja. A forma emocional como apela à Paz não deixa ninguém indiferente e não descansa na busca de soluções diplomáticas.

2 – Denis Mukwege



Também segundo o site Betfair, em segundo lugar surge Denis Mukwege, um ginecologista congolês que se dedica a ajudar vítimas de violação na República Democrática do Congo. É visto como “um salvador” e as vítimas da violência sexual andam centenas de quilómetros para o encontrarem. 

O seu nome é acompanhado de mais dois que trabalham a seu lado: Jeanne Nacatche Banyere e Jeannette Kahindo Bindu. Três pessoas, uma missão: ajudar e dar esperança a quem precisa.

3 - Mussie Zerai



Ainda segundo o site internacional de apostas, é Mussie Zerai que aparece no último lugar do pódio. A crise dos refugiados trouxe o seu nome à ribalta. 

Este padre católico, que cresceu na Eritreia e se juntou ao pai em Itália, com 17 anos, como refugiado político, reside agora na Suíça.

Mussie Zerai criou, em 2006, na Itália, a Habeshia, uma agência para a cooperação e desenvolvimento que ajuda os refugiados e migrantes em busca de proteção humanitária. 

Muitas vezes, serve como contato telefónico para os migrantes que atravessam o mar Mediterrâneo, recebe as coordenadas dos barcos e entrega a informação às equipas de resgate e à guarda costeira.

4 - Dmitry Muratov e a Novaya Gazeta



Dmitry Muratov é editor chefe e um dos fundadores da Novaya Gazeta, um jornal independente russo. Apesar de alguns dos seus jornalistas terem sido assassinados, este continua a criticar as escolhas e ações de Vladimir Putin.

Se estes forem os eleitos, será a primeira vez que um órgão de comunicação social recebe um Nobel da Paz. Mas, além disso, seria o fechar de um círculo.

Recorde-se que o ex-presidente russo Mikhail Gorbachev, que venceu o Nobel da Paz em 1990, usou o dinheiro do prémio para fundar a Novaya Gazeta.

5 – Article 9 Association



A Article 9 Association é uma associação japonesa, cuja missão é conservar uma cláusula (a nº 9) da constituição do país, introduzida após a II Guerra Mundial, que proíbe o uso de ações militares como forma de resolver disputas internacionais.

O escritor japonês Kenzaburo Oe é um dos rostos, mais conhecidos, desta associação. 

No passado mês de setembro, o parlamento fez passar uma legislação, que causou grande controvérsia no país, e que faz uma reinterpretação da cláusula nº 9. 

6 - Daisaku Ikeda



Daisaku Ikeda é filoso e escritor, mas também presidente do grupo budista Soka Gakkai International. A missão dos membros do grupo criado pelo japonês é promover a importância da paz e o respeito pela dignidade humana.

7 - Edward Snowden



Herói para alguns, traidor para outros. Após as revelações que fez, em 2013, sobre programas de vigilância secretos e em grande escala, este ex-funcionário da NSA volta a ver o seu nome na lista de possíveis candidatos. Mais, está de novo entre os favoritos.

8 - Raif Badawi



Em 2008, Raif Badawi criou e lançou o site “Sauditas liberais livres” (“Free Saudi Liberals”). Não demorou muito até ser detido e interrogado sobre a página. O governo não gostou do que leu.

Mesmo assim, não deixou de continuar a escrever e a publicar as suas visões liberais. Alguns clérigos acusaram-no mesmo de ser “descrente” e passaram a considerá-lo um apóstata.

O governo saudita acabou por ordenar a sua detenção em 2012 e, desde então, está preso. Em 2013, foi condenado a sete anos de prisão e 600 chicotadas, pelo crime de insultar o islão no site e em comentários na televisão. Interpôs recurso e foi condenado a uma pena mais dura: 10 anos e mil chicotadas.

9 - Angela Merkel



Além dos sites de apostas, outra fonte de nomes favoritos é Kristian Berg Harpviken, diretor do Peace Research Institute Oslo ( PRIO), que se dedica à busca de um mundo mais pacífico.

Para este responsável, Angela Merkel é outra forte candidata ao Nobel da Paz. E o motivo é simples: a sua rápida resposta e atuação na crise dos refugiados que está a atingir a Europa.

“Enquanto muitos fugiam à responsabilidade, ela mostrou liderança e não se limitou a decidir políticas. Mostrou uma abordagem humana, numa situação difícil”, justifica Kristian Berg Harpviken.

10 - Juan Manuel Santos e Timoleón Jiménez



Mas além da chanceler alemã, o diretor do PRIO também acredita que o presidente colombiano, Juan Manuel Santos e o líder das FARC, Timoleón Jiménez, são dois nomes fortes.

Os dois aceitaram procurar um caminho para a paz, em busca de um acordo final, para uma guerra que dura desde os anos 60.

A oportunidade de acordo foi conseguida em Havana, Cuba, quando representantes dos dois lados se sentaram à mesa.