A ONU estima que mais de um milhar de pessoas, maioritariamente da minoria muçulmana rohingya, podem ter morrido devido à violência no estado de Rakhine, na Birmânia.

Pode haver mais de um milhar de pessoas que foram mortas. Há dos dois lados, mas as vítimas concentram-se largamente na população rohingya”

O balanço, em jeito de alerta, foi feito pela enviada especial da ONU no país, Yanghee Lee, avançando uma estimativa duas vezes superior à do Governo birmanês.

Milhares de pessoas da minoria muçulmana rohingya têm estado a tentar fugir do país para o Bangladesh. No entanto, e apesar do apelo do secretário-geral da ONU, António Guterres, no sentido de se acolher estas pessoas em fuga, as autoridades do Bangladesh estão a fazer de tudo para evitar mais entradas no país.

Veja também:

A Birmânia é maioritariamente budista e recusa-se a reconhecer esta minoria.