Os restos mortais de 36 fuzileiros norte-americanos foram encontrados numa ilha remota do Pacífico, mais de 70 anos após terem morrido, numa batalha da II Guerra Mundial, indicou a equipa de resgate.

Os ossos dos homens foram encontrados durante uma escavação na ilha Betio, em Kiribati, disse à Radio New Zealand o diretor da organização History Flight Inc., Mark Noah.

O responsável, cuja organização trabalhou neste projeto juntamente com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, disse que os homens foram mortos na batalha de Tarawa, em 1943.

“Tinham a expectativa de que, se morressem na frente de batalha, a defender o seu país, seriam enviados para casa… Essa foi uma promessa feita há 70 anos que sentimos que devíamos cumprir”, disse na terça-feira.


Apesar de os restos mortais não terem ainda sido formalmente identificados, Noah afirmou ser quase certo que um deles é do tenente Alexander Bonnyman, que recebeu a Medalha de Honra, mais alta do exército, numa homenagem póstuma.

Mais de mil norte-americanos morreram em Tarawa, enquanto toda a guarnição japonesa, de 4.800 homens, foi eliminada.

Segundo Noah, os restos mortais vão ser repatriados este mês e identificados através dos registos dentários e comparação do ADN com familiares vivos.