A Administração dos Estados Unidos vai investigar se a polícia de Baltimore “recorre de forma habitual à força excessiva” nas suas operações, informou esta sexta-feira o diário The Washington Post.

De acordo com fontes citadas pelo jornal, a procuradora-geral, Loretta Lynch, já tinha tomado a decisão de abrir uma investigação federal sobre aquela polícia local sobre as causas da morte de um jovem negro que ficou ferido quando se encontrava sob custódia policial e cujo caso gerou violentos protestos na semana passada.

O diário avança que o anúncio oficial da abertura da investigação poderá ser feito esta sexta-feira.

São Francisco investiga se racismo motivou detenções pela polícia

O procurador distrital de São Francisco (EUA) anunciou na quinta-feira que o seu gabinete ampliou uma investigação em marcha para determinar se existe uma cultura racista sistemática no corpo policial da cidade que conduziu a detenções ilegais.

George Gascón, ex-chefe da polícia em São Francisco, disse na quinta-feira, durante uma conferência de imprensa, que estão a ser investigados 3.000 casos, 1.400 dos quais se traduziram em condenações, para determinar se houve irregularidades motivadas por preconceitos raciais por parte da polícia.

O anúncio surge após terem sido divulgadas, em março, mensagens de texto racistas escritas de 14 membros da Polícia de São Francisco.