Centenas de bactérias foram encontradas no sistema de metro de Nova Iorque. Segundo um estudo publicado esta semana, foram detetados vestígios de doenças como carbúnculo e peste bubónica, mas as autoridades americanas já vieram dizer que não há perigo para a saúde pública.
 
 
Durante 17 meses, foram recolhidas amostras em bancos, corrimões, assentos e portas. As análises revelaram a presença de centenas de bactérias, a maioria inofensivas, mas também algumas que podem causar infeções por estafilococos e meningite. Também foram encontrados alguns vestígios sem vida do que poderia ser a peste bubónica.
 
No entanto as autoridades de saúde já vieram tranquilizar a população e lembram que há mais de um século que a cidade não regista nenhum caso de peste negra. Ainda assim, vão tentar perceber se o suposto ADN da peste está presente nas ratazanas que vivem nos túneis do metro.
O estudo tinha como objetivo criar um mapa do ADN encontrado no metro de Nova Iorque, que transporta cerca de 5,5 milhões de pessoas por dia.