O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, oficializou, nesta quarta-feira, o pedido de demissão, após a vitória do não no referendo de domingo.

A confirmação, já aguardada, chegou ao início da noite, através da Presidência.

Em comunicado, o Presidente Sergio Mattarella pede, agora, a Renzi que permaneça interinamente no cargo enquanto decorrerem as audições aos partidos.

O Parlamento de Itália aprovou hoje o Orçamento do Estado para 2017, abrindo caminho à demissão do primeiro-ministro, na sequência da expressiva derrota no referendo de domingo sobre a reforma constitucional.

A proposta de Orçamento foi aprovada no Senado (câmara alta) com 173 votos a favor e 108 contra, depois de ter sido aprovada na semana passada pela Câmara dos Deputados (câmara baixa).

Na segunda-feira, o presidente italiano, Sergio Mattarella, pediu a Renzi que se mantivesse em funções até à aprovação definitiva do orçamento.

LEIA TAMBÉM: E agora, eleições antecipadas ou Governo de transição?