O movimento islamita palestiniano Hamas anunciou esta sexta-feira a criação de um «exército popular» na Faixa de Gaza, devastada por três mortíferas ofensivas israelitas, garantindo que «se está a preparar» para qualquer novo confronto com o Estado hebreu.

O anúncio foi feito numa altura em que aumenta a tensão entre israelitas e palestinianos na cidade de Jerusalém, designadamente por causa do acesso de extremistas judeus à Esplanada das Mesquitas.

Durante as celebrações no campo de refugiados de Jabaliya na Faixa de Gaza, o porta-voz das Brigadas Al-Qassam, o braço armado do movimento islamita saudou «a promoção de 2.500 recrutas, representando o primeiro contingente do exército popular para a libertação da mesquita Al-Aqsa e da Palestina».