«Carlos, o Chacal», o nome pelo qual é conhecido o venezuelano Ramirez Sanchez, enfrenta novo julgamento por homicídio, novamente em França, por um ataque bombista perpetrado em 1974, em Paris, e do qual resultaram dois mortos e 34 feridos, como revela o «Le Fígaro».

«Chacal», o revolucionário, já foi julgado e condenado por homicídio pelos vários atos de terrorismo que levou a cabo nos anos 70 e 80. Pelos ataques a dois comboios, uma estação ferroviária e um jornal em França, dos quais resultaram 11 mortos e ferimentos em 150, Ramirez foi condenado a prisão perpétua, como recorda a BBC.

Durante anos, a figura deste terrorista e assassino a soldo foi visto como uma lenda, inspiração de filmes e livros, até ser detido em 1994. Levado a julgamento, «Carlos, o Chacal» foi condenado a prisão perpétua, de nada valendo os seus apelos para os tribunais superiores e as manifestações, na terra natal, com os apoiantes a gritarem que o seu conterrâneo estava sequestrado em França.

«Carlos, o Chacal» ou Ramirez Sanchez tem atualmente 64 anos.

A associação que defende os direitos das vítimas dos ataques terroristas em França já mostrou satisfação pelo novo julgamento do terrorista, considerando que nunca é tarde para se fazer justiça.