A superfície terrestre na zona de Houston abateu dois centímetros, devido ao peso da chuva torrencial trazida pelo furacão Harvey, segundo os cálculos de um geofísico californiano.

Chris Milliner, um investigador com pós-doutoramento no Laboratório de Propulsão a Jato da agência espacial norte-americana (NASA, na sigla em Inglês), situado no Instituto de Tecnologia da Califórnia, calculou que a água pesava cerca de uma tonelada por metro cúbico e que as inundações eram tão generalizadas que “abateu a crusta terrestre”.

Em declarações ao Houston Chronicle, afirmou que usou registos do Laboratório Geodésico do Nevada e outros dados estatísticos para medir a quantidade de água.

Milliner acrescentou que este abate será temporário, uma vez que quando a água desaparecer, vai haver uma "resposta elástica oposta da crusta", à semelhança do que acontece quando se salta sobre um colchão.

Designou o fenómeno como um afundamento local elástico, realçando que ocorre em outros locais com significativas alterações sazonais na quantidade de água ou gelo.

A passagem do furacão Harvey pelo estado norte-americano do Texas causou, pelo menos, 44 mortos e deixou, ainda, milhares de pessoas desalojadas.