Barack Obama visitou um centro de reabilitação para vítimas das bombas que os Estados Unidos lançaram no Laos durante a Guerra do Vietname, um dia depois de elevar a ajuda ao país asiático para remover explosivos não detonados.

O Laos tem um legado de mais de dois milhões de toneladas de bombas que a aviação norte-americana lançou entre 1964 e 1973 numa operação secreta, o que tornou este país no mais bombardeado da história.

O Presidente norte-americano, que participa no Laos numa reunião dos países do Sudeste Asiático, visitou uma cooperativa financiada pelos Estados Unidos que oferece próteses e apoios a pessoas incapacitadas, e sublinhou que essa guerra afetou os laosianos muito além do campo de batalha, segundo um comunicado da Casa Branca.

A visita de Obama a Laos ficou marcada pelo incidente com o Presidente filipino, Rodrigo Duterte, que o insultou antes do encontro, levando ao cancelamento de um encontro entre os dois.

O Presidente das Filipinas pediu, entretanto, desculpas e disse também sentir um “profundo apreço e afinidade” por Obama e afirmou que espera “limar as arestas” com os Estados Unidos.