Pelo menos 12 pessoas morreram e 42 pessoas ficaram feridas na sequência do ataque ao Parlamento de Teerão segundo fonte oficial citadas pela televisão estatal IRIB. Os quatro atacantes já foram abatidos e o Estado Islâmico já reivindicou o ataque.

O ataque começou às primeiras horas da manhã quando os deputados se preparavam para dar início aos trabalhos no parlamento. 

Segundo o ministro do Interior, Mohammad Hossein Zolfaghar, os quatro atacantes, que carregavam consigo metralhadoras Kalashnikov e uma pistola, entraram no parlamento vestidos de mulheres pela porta principal e dispararam contra os seguranças que ali se encontravam, tendo morto um deles. 

"Um dos atacantes foi abatido pelos seguranças e um detonou o colete de explosivos" enquanto os restantes continuavam dentro do edifício com reféns. Até que foram abatidos pelas autoridades que tinham isolado a área.

Pouco depois de dado o alerta do ataque ao parlamento, as agências iranianas deram conta de disparos e da detonação de uma bomba no mausoléu de Khomeini

As informações difundidas pelos meios de comunicação social oficiais, referem que um atacante suicida provocou uma explosão no local onde está sepultado o fundador da república islâmica. 

De acordo com a agência Isna a explosão fez pelo menos “um morto e vários feridos”.