“Há alguma escassez em diversas lojas na Alemanha e na Suécia, devido à situação dos refugiados na Europa”, disse o porta-voz do grupo sueco, Josefin Thorell.

O IKEA não revelou o número de lojas afetadas, mas acrescentou que estão a falar com os fornecedores para acelerar as entregas.

O porta-voz do grupo sublinhou, porém, que caso o ritmo de procura não abrande será difícil manter os níveis de stock habituais. "Se a situação persistir, será difícil assegurar um abastecimento suficiente."

O grupo sueco, recorde-se, é conhecido por vender mobiliário a um preço acessível.

A crise de refugiados na Europa tem batido recordes nos últimos meses.