As autoridades belgas continuam à procura de "vários suspeitos de terrorismo", um dia depois de uma operação em Bruxelas e no norte de França, e receiam que estes suspeitos possam cometer atentados, anunciou hoje o Ministério Público.

As buscas estão relacionadas com a descoberta de um stock de armas num subúrbio em Bruxelas, que incluía armas de guerra, coletes à prova de bala, detonadores e uniformes da polícia.

Continuamos à procura de vários suspeitos de terrorismo (...). Receamos que se sintam perseguidos depois das buscas. Receamos a mesma reação de 22 de março" de 2016, declarou um porta-voz do Ministério Público belga à televisão em língua flamenga VTM.

Naquela data, terroristas suicidas perpetraram um duplo atentado em Bruxelas, que matou 32 pessoas, depois de a polícia ter encontrado um dos seus redutos.

Na quarta-feira, dois irmãos foram acusados de terrorismo pelas autoridades, mas a polícia está à procura de mais membros da potencial célula terrorista.