O Governo da Arábia Saudita retirou a autorização de operação da companhia aérea Qatar Airways e ordenou o encerramento dos seus escritórios no país em 48 horas, um dia após Riade romper relações diplomáticas com Doha.

A medida foi tomada pela Autoridade da Aviação Civil da Arábia Saudita esta terça-feira e divulgada em comunicado.

A decisão, que terá consequências económicas sobre a companhia aérea, afetará também os trabalhadores da Qatar Airways, muitos dos quais expatriados, que perderão as suas autorizações de trabalho e de residência no reino saudita.

Esta terça-feira, a Qatar Airways anunciou a suspensão de todos os voos de e para a Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito.

Num comunicado publicado no seu ‘site’, a companhia aérea indica que a suspensão dos voos para os quatro países vai vigorar “até nova ordem” e que os passageiros afetados podem pedir o reembolso dos bilhetes de avião ou optar por reservar passagens para outros destinos.

Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iémen e Líbia, além das Maldivas, anunciaram sucessivamente na segunda-feira o rompimento de relações diplomáticas com o Qatar e tomaram medidas para isolar o país, fechando fronteiras e cortando ligações terrestres, marítimas e aéreas.