«Vamos continuar os nossos esforços», disse o advogado Leonard Arpan à Reuters, informando que vai apelar para o Tribunal Constitucional.