O conselheiro económico de Donald Trump, Gary Cohn, demitiu-se, esta terça-feira, segundo informação confirmada pela Casa Branca à BBC.

A saída de um dos principais conselheiros do presidente dos EUA estará relacionada com divergências sobre a política de comércio defendida por Donald Trump. Enquanto Gary Cohn é um apoiante do comércio livre, Trump quer implementar impostos na importação de alumínio e de aço.

Em comunicado enviado ao The New York Times, Donald Trump elogiou o trabalho de Gary Cohn e lembrou a sua ajuda "nas reformas para libertar a economia norte-americana".

“Gary tem sido um grande conselheiro económico e fez um trabalho soberbo em dirigir a nossa agenda, ajudando a aplicar taxas históricas e reformas para libertar, uma vez mais, a economia norte-americana. É um talento raro e agradeço-lhe pelo serviço sempre dedicado que prestou ao povo norte-americano”, escreveu o presidente dos EUA.

Gary Cohn, que foi presidente no banco Goldman Sachs, é o mais recente funcionário da Casa Branca a deixar a equipa do líder norte-americano. Na semana passada, Hope Hicks, a mais fiel assessora de Trump, demitiu-se.