O ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita instou, na quinta-feira, a coligação liderada pelos Estados Unidos que está a conduzir ataques aéreos contra o Estado Islâmico a juntar-se ao conflito no terreno.

O país, que faz parte da coligação, «sublinhou a necessidade de providenciar meios militares para enfrentar o desafio no terreno», disse o príncipe Saud al-Faisal, numa conferência de imprensa com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

O Presidente Barack Obama, que deseja evitar uma guerra terrestre, apoiou os ataques aéreos mas excluiu a possibilidade de destacar infantaria.

O ministro saudita também alertou para a presença, cada vez maior, do Irão no Iraque, acusando a república islâmica de «tomar conta» do país vizinho através do seu apoio na luta contra o Estado Islâmico.