A sonda Juno entrou esta terça-feira na órbita de Júpiter, disse a agência espacial norte-americana, a NASA, que espera com esta missão perceber as origens do maior planeta do sistema solar.

A nave, um observatório espacial não tripulado e movido a energia solar, entrou na órbita de Júpiter cinco anos depois de ter iniciado a sua viagem rumo ao planeta.

A nave foi capturada, conforme previsto pela gravidade do maior planeta do sistema solar, indicou o centro de controlo, que recebeu a confirmação do sucesso da operação pelas 04:53 (hora de Lisboa).

A nave foi capturada, conforme previsto pela gravidade do maior planeta do sistema solar, indicou o centro de controlo, que recebeu a confirmação do sucesso da operação pelas 04:53 (hora de Lisboa).

A sonda Juno deslocou-se a uma velocidade de mais de 130.000 milhas por hora (209.200 quilómetros por hora) em direção àquele que é considerado o planeta "rei" do sistema solar.

A entrada na órbita de Júpiter era um momento chave porque se a sonda não fosse bem-sucedida, poderia passar por Júpiter e deixá-lo para trás, acabando assim uma missão de 15 anos a cerca de 540 milhões de milhas (869 milhões de quilómetros) da Terra.