O primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, anunciou que vai endurecer as condenações a prisão perpétua e que será o Governo federal, e não uma comissão independente como até agora, quem decide conceder a liberdade condicional.

Atualmente, a pena mais severa do país, para casos de homicídio em primeiro grau, implica uma condenação automática a prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional durante 25 anos.

No entanto, Harper e o seu ministro da Justiça, Peter McKay, explicaram que as pessoas condenadas por homicídios relacionados com ataques sexuais, terrorismo ou morte de polícias não terão a opção de solicitar a liberdade condicional.

Harper acrescentou ainda que apenas após 35 anos na prisão é que os condenados vão poder solicitar ao ministro de Segurança Pública a sua liberdade.