Os extremistas do Estado Islâmico (EI) libertaram, pelo menos, 93 civis curdos sequestrados em fevereiro quando seguiam para o Curdistão iraquiano, informou esta terça-feira o Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH).

Mais de 160 civis curdos foram raptados em fevereiro pelo EI que os acusou de serem membros da União Democrática Curda, o principal partido curdo da Síria, cujas forças combatem há mais de um mês e meio contra o grupo jihadista na cidade de Kobane.

A organização não-governamental não conseguiu esclarecer por que razão é que aquele grupo de reféns foi colocado em liberdade.