O primeiro dos sete portugueses visados pela ordem expulsão do Governo de Timor-Leste deixou esta terça-feria o país, disse à agência Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, os restantes seis elementos devem abandonar o país nos próximos dias, apesar de ainda não terem sido notificados pelos Serviços de Migração do Ministério da Segurança de Timor-Leste.

O Governo de Timor-Leste ordenou na segunda-feira aos Serviços de Migração a expulsão, no prazo de 48 horas, de oito funcionários judiciais internacionais, sete portugueses (cinco juízes, um procurador e um oficial da PSP) e um cabo-verdiano (um procurador).