O número de mortos do atentado de domingo subiu para mais de 200, de acordo com a última atualização divulgada pela Al Jazeera

O ataque mais mortífero ocorreu no bairro comercial de Karrada, onde muitas pessoas têm por hábito fazer compras nas vésperas do final do mês sagrado do Ramadão. Um carro-armadilhado explodiu, provocando mais de 200 mortos, incluindo dezenas de crianças, 200 feridos e um cenário devastador.

De acordo com a mesma fonte, dezenas das vítimas morreram queimadas ou sufocaram com os fumos provocados pela explosão. Esta manhã, ainda estavam a ser retirados corpos dos escombros, pelo que as autoridades já alertaram que o número de mortos pode aumentar. 

A zona estava cheia de famílias. Havia muitas crianças, a maior parte das quais estava concentrada em frente à mais antiga e popular geladaria da capital iraquiana. O primeiro-ministro Haider al-Abadi já condenou o ataque e declarou três dias de luto nacional.

Este atentado já foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, que publicou uma mensagem online.

Governo português condena "hediondos atentados"

O governo português condenou hoje “os hediondos atentados” no fim de semana no Iraque e no Bangladesh, que causaram no total mais de 240 mortos, segundo uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Recordando que condena “todo e qualquer ato de terrorismo”, o governo expressa “as mais sinceras condolências e manifesta a sua profunda solidariedade para com as famílias das vítimas, fazendo votos de rápida recuperação para os feridos”.

Portugal reitera o seu apoio aos Governos do Iraque e do Bangladesh na luta contra o terrorismo”, adianta-se no comunicado.