Há mais de 40 pessoas mortas e centenas de feridos na cidade de Aleppo na Síria. De acordo com as agências noticiosas russas, citadas pela Reuters, a investida foi feita por mais de mil ativistas da milícia Al Nusra.

"Houve bombardeamentos contínuos com canhões, rockets, morteiros e aviões. Os terroristas destruíram várias zonas da cidade habitadas também por civis, além dos edifícios governamentais e locais das tropas curdas”, noticiou a agência TASS citando uma fonte do centro de motorização.

Mais um ataque que colocou em contato telefónico, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, e o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse fonte oficial do ministério russo. "Lavrov está preocupado que os atentados sejam um pretexto para atrasar o retomar das negociações políticas", disse a fonte ministerial russa.

Entretanto, a agência Reuters noticia que o ministro terá garantido que há tropas turcas junto a Aleppo.      

Já este sábado também o exército sírio cruzou a fronteira da província de Raqqa depois uma mega ofensiva Russa contra as milícias do auto proclamado Estado Islâmico, disse o observatório sírio para os direitos humanos.

O observatório, citado pela Reuters, fala de violentos ataques aéreos das forças russas contra o território do auto proclamado Estado Islâmico na zona leste na província síria de Hama, perto da fronteira com Raqqa, depois do exército ter atingido os limites do fronteira na sexta-feira.