Pelo menos 16 pessoas morreram, 30 continuam desaparecidas e mais de dez mil ficaram sem casa na sequência das fortes inundações que devastaram a capital das Ilhas Salomão, Honiara, revelam fontes de organizações humanitárias.

Comunidades inteiras foram «varridas» pelo principal rio da cidade, o Matanikau, que transbordou na quinta-feira, derrubando pontes e inundando o centro da cidade num fenómeno descrito como um dos mais graves a afetar aquela nação do Pacífico.

«A situação é muito terrível», descreveu a diretora do programa de desenvolvimento da organização «Save the Children» para as Ilhas Salomão, Rudaba Khondker, em declarações à agência France Press.