Um hospital na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, que está sob o domínio dos separatistas pró-russos, foi esta quarta-feira alvo de um bombardeamento. O incidente terá provocado várias vítimas mortais, mas, segundo a administração do hospital, ainda não é possível determinar o número oficial de mortos e feridos. 

Fonte dos serviços de emergência disse à agência de notícias Interfax que «há várias ocorrências no hospital. Um balanço preliminar informa que morreram mais de 15 pessoas».

A Reuters confirmou pelo menos três vítimas. A agência RIA anunciou quatro mortes. 

«De acordo com informação preliminar, 4 a 10 pessoas morreram. Neste momento. O número de feridos não está confirmado. Os terroristas usaram uma vez mais armas contra a população civil da região de Dontetsk», declarou um comunicado do procurador-geral ucraniano, emitido ao início da tarde, citado pela Reuters.

Testemunhas oculares reportaram à Reuters que no mínimo duas bombas caíram naquele hospital e que há uma enorme cratera em frente ao hospital. Uma das vítimas estaria perto do edifício hospitalar e as outras duas na rua. Segundo o repórter da Reuters, a bomba não atingiu o edifício hospitalar propriamente dito, provocando sim danos na fachada e partindo vidros.


Algumas das primeiras imagens da destruição foram captadas pelo jornalista da RT:  O ataque também atingiu uma zona residencial e rebentou uma linha de alta-voltagem, pelo que aquela área está sem eletricidade e as escolas foram obrigadas a fechar, de acordo com a RT. 
 
O ataque aconteceu depois de as tropas da Ucrânia terem acusado os separatistas de ataques que provocaram pelo menos dois mortos e 18 feridos entre os soldados ucranianos. Segundo os ucranianos, os rebeldes lançaram 80 rockets a posições ucranianas nas últimas 24 horas

O conflito no leste da Ucrânia já provocou a morte a mais de cinco mil pessoas.