Uma jovem de 21 anos foi condenada, no Canadá, pelo homicídio da sua amiga, depois de a polícia ter descoberto a arma do crime numa foto publicado no Facebook das jovens juntas, horas antes da morte.

O crime ocorreu em março de 2015, mas só agora Cheyenne Rose Antoine admitiu ter matado a colega Brittney Gargol, segundo a BBC.

A vítima foi encontrada estrangulada perto de um aterro na cidade canadiana de Saskatoon, com o cinto de Cheyenne perto do corpo.

A jovem foi identificada como suspeita depois de ter publicado uma selfie na rede social Facebook com a vítima, onde está a usar o cinto horas antes da morte de Brittney.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A polícia confirmou que alguns detalhes da versão original de Cheyenne não batiam certo. A jovem disse que ambas tinham ido a vários bares e que a vítima tinha acabado por ir embora com um homem desconhecido.

Uma publicação no Facebook da vítima na manhã seguinte ao crime, em que a culpada escreveu: "Onde estás? Não tive mais notícias. Espero que tenhas ido em segurança para casa", fez a polícia desconfiar de uma manobra de diversão.

As autoridades analisaram fotos do Facebook para tentar reconstruir os passos das duas jovens na noite do crime. Uma imagem em que as raparigas aparecem juntas, horas antes do homicídio, mostra Cheyenne com o cinto que utilizou para estrangular a colega.

A jovem admitiu à polícia que teve uma discussão intensa com a amiga, justificando que estavam bêbedas e sob a influência de drogas. Acabou por confessar o crime, mas afirmou que não se lembrava de ter matado Brittney.

Eu nunca me vou perdoar. Nada do que eu diga ou faça a trará de volta. Estou muito arrependida. Não deveria ter acontecido", disse a jovem condenada num comunicado através do seu advogado.

Cheyenne Antoine foi condenada a uma pena de sete anos de prisão por homicídio involuntário.