A enfermeira britânica contaminada pelo vírus Ébola e colocada em isolamento desde terça-feira encontra-se em estado crítico, anunciou o Royal Free Hosital, onde se encontra internada.

«O estado de Pauline Cafferkey deteriorou-se progressivamente nos últimos dois dias e ela encontra-se em estado crítico», informaram, através de um comunicado, os médicos da enfermeira, que chegou domingo à noite a Glasgow, na Escócia, vinda da Serra Leoa.

A enfermeira, que trabalhava naquele país africano com a organização humanitária «Save the Children», regressou num voo que fez escala em Casablanca, Marrocos, e no aeroporto de Londres, onde foi permitido que continuasse a viagem, apesar de ter comunicado às autoridades que se sentia mal.

Os médicos do hospital já tinham informado que a profissional de saúde tinha começado a receber um tratamento experimental antivírico elaborado com plasma sanguíneo de sobreviventes a esta doença.

Este é o segundo caso de Ébola entre britânicos, depois do enfermeiro William Pooley, que contraiu o vírus em agosto, quando trabalhava na Serra Leoa, mas que conseguiu recuperar depois de ser repatriado para Londres e receber tratamento no Royal Free Hospital.

O balanço mais recente da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgado a 31 de dezembro, refere que mais de 20.000 pessoas já foram infetadas com o vírus Ébola nos três países da África Ocidental mais afetados e 7.890 morreram.