Os primeiros 34 voluntários que participam, em Genebra, Suíça, num ensaio clínico de uma vacina experimental canadiana contra o vírus Ébola toleraram bem a injeção, segundo um comunicado divulgado esta terça-feira pelo Hospital Universitário de Genebra (HUG).

«Até agora, não foram observados efeitos secundários graves e as injeções desencadearam respostas inflamatórias que eram esperadas, com intensidade de leve a moderada», indicou a nota do HUG, referindo ainda que estas reações duraram cerca de dois a três dias.

Desde 10 de novembro, os 34 voluntários recebem uma injeção da vacina, ou uma injeção de placebo.

As injeções vão ser ministradas até ao início de 2015, indicou o hospital, com 15 voluntários por semana.
Esta vacina experimental, chamada VSV-ZEBOV, está a ser também testada clinicamente nos Estados Unidos, no Canadá, na Alemanha e no Gabão.

Os ensaios clínicos devem começar em breve no Quénia.

Em Genebra, os ensaios deverão ser realizados num total de 115 voluntários.

A 28 de novembro, havia 2.155 casos de Ébola na Guiné-Conacri, com 1.312 mortos, 7.635 casos na Libéria, com 3.145 mortos, e 7.109 na Serra Leoa, com 1.530 vítimas mortais.

Numa conferência de imprensa realizada na segunda-feira em Genebra, a OMS afirmou que conseguiu que um primeiro objetivo fosse alcançado na Libéria e na Guiné-Conacri, com 70% dos casos de infetados a serem isolados e tratados e 70% das vítimas mortais da doença enterradas de forma segura.

Na Serra Leoa, isso está a ser conseguido em várias regiões, mas há ainda dificuldades na zona oeste do país, onde a epidemia continua a propagar-se, disse a organização, adiantando que espera que o objetivo seja atingido neste país «dentro de semanas».