Pelo menos 4.831 pessoas morreram na Síria durante o mês de julho, entre civis, rebeldes, ‘jihadistas’, militares e milícias pró regime, segundo dados divulgados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Segundo aquela organização, em apenas um mês morreram 1.021 civis vítimas dos combates e bombardeios, das quais 231 eram crianças com menos de oito anos e 159 tinham entre oito e 18 anos.

O conflito armado que dura há mais de quatro anos causou ainda, em julho, outros 587 mortos entre os combatentes de nacionalidade síria pertencentes às fações rebeldes, a grupos islamitas e às unidades de combate curdas.