O Paquistão convocou o embaixador dos Estados Unidos em Islamabad, anunciou hoje um porta-voz norte-americano, após o presidente norte-americano ter ameaçado suprimir a ajuda ao país por considerar que este não tem combatido o terrorismo.

O embaixador, David Hale, foi convidado a comparecer na segunda-feira à noite no Ministério dos Negócios Estrangeiros do Paquistão, disse um porta-voz da embaixada, acrescentando: "Foi encontrar-se com responsáveis. Não temos comentários a fazer sobre o teor da reunião."

O Governo paquistanês não fez qualquer comentário.

A convocação de Hale surge depois de uma dura mensagem de Trump contra o Paquistão, divulgada na segunda-feira no Twitter.

Os Estados Unidos deram, de forma ridícula, ao Paquistão mais de 33 mil milhões de dólares ao longo dos últimos anos, enquanto eles não nos deram nada mais que mentiras e fraudes, ao pensarem que os nossos líderes são idiotas”, disse Donald Trump na mensagem.

De acordo com o líder norte-americano, o Paquistão tem concedido asilo aos terroristas perseguidos no Afeganistão, não ajudando os Estados Unidos no combate ao terrorismo.

“Basta”, declarou Donald Trump na mesma publicação.

Através da mesma rede social, a ministro das Relações Externas do Paquistão, Khawaja Asif, fez saber no próprio dia que o governo está a preparar uma resposta “para que o mundo conheça toda a verdade”.

Aliada de Washington desde a Guerra Fria, Islamabad desmente há muito as acusações norte-americanas e acusa Washington de ignorar os milhares de paquistaneses mortos na luta contra o terrorismo.