O passado mês de agosto foi o que registou menos vítimas mortais na Síria desde maio de 2011 e em que morreram menos civis desde o início do conflito, em março daquele ano, avançou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

De acordo com esta organização não governamental (ONG), em agosto deste ano morreram na guerra da Síria 840 pessoas, 253 das quais civis e 70 menores.

Entre as mortes, a ONG conta 220 combatentes de fações de oposição rebeldes e islâmicas, bem como das forças curdas, além de 169 membros de grupos radicais como do Estado jihadista islâmica (EI) e da Al Qaeda.

Este mês morreram ainda 72 soldados do exército sírio, assim como 104 milicianos leais ao presidente Bashar al-Assad.

O observatório diz que este número é o menor registado desde maio de 2011, quando a ONG verificou a morte de 507 pessoas, 446 delas civis.

Desde o início da guerra na Síria, o Observatório diz ter registado a morte de 350 mil pessoas no país, mas ressalva que o número pode chegar a meio milhão porque muitos casos não puderam ser verificados.