O grupo Boko Haram reclama a autoria dos massacres na cidade nigeriana de Baga e avisa que os ataques «foram só a ponta do iceberg».
 

«Mais mortes virão. É apenas o início da mortandade»

 
A 3 de janeiro, cerca de 2 mil pessoas foram mortas e 3700 casas foram arrasadas na cidade nigeriana junto à fronteira com os Camarões, de acordo com estimativas avançadas pela Amnistia Internacional. O Governo nigeriano contesta as cifras e coloca o número de mortos em 150.
 
No vídeo, divulgado na terça-feira, o líder do movimento, Abubakar Shekau, diz que as mortes foram cometidas conforme Alá «ordenou nos livros», de acordo com tradução do árabe feita pelo SITE Intelligence Group, um site que monitoriza a atividade jihadista.
 
No vídeo, aparecem armas, supostamente retiradas de uma base militar de Baga. «Isto é apenas o início da mortandade. O que testemunharam é apenas a ponta do iceberg. Mais mortes virão», diz Abubakar Shekau no vídeo.

O líder do Boko Haram acrescenta ainda que o massacre «marca o fim da política e da democracia na Nigéria». O vídeo surge numa altura em que a Nigéria se prepara para entrar em campanha eleitoral para as presidenciais de 14 de fevereiro.