O drama chegou com o amanhecer de terça-feira à capital indiana. Os residentes de Nova Deli acordaram sob uma espessa neblina branca que envolvia toda a cidade. Os dias foram passando e o fenómeno persistiu. A meio da semana, os efeitos nefastos da poluição já eram evidentes.

A visibilidade reduzida ditou o cancelamento dos transportes ferroviários e o número de acidentes rodoviários aumentou, com múltiplos sinistros registados. O tráfego aéreo manteve-se, apesar dos atrasos frequentes.

As autoridades da cidade encerraram todas as escolas públicas e privadas logo na terça-feira e apelaram para que todas as crianças permanecessem em sítios fechados.

Na quarta-feira, foi negada a entrada a todos os camiões que tinham como destino Nova Deli e interrompida toda a construção civil na cidade.

Ao terceiro dia, na quinta-feira, surgiram os primeiros planos para proibir a circulação de carros privados. A medida só terá efeitos práticos no início da próxima semana, caso a neblina não desvaneça.

Esta sexta-feira, pelo quarto dia consecutivo, Nova Deli voltou a acordar agoniada pela poluição extrema. Jornalistas e médicos começaram a avisar a população para os malefícios para a saúde, a longo prazo.

Efeitos na saúde

Os testes à qualidade do ar na capital indiana atingiram níveis alarmantes. Deli chegou mesmo a ser a cidade com mais poluição durante alguns períodos da semana, de acordo com o índice de qualidade do ar da embaixada dos EUA. 

 A medição é baseada na concentração de partículas finas de matéria, ou PM2.5, por metro cúbico. As partículas microscópicas, que têm menos de 2,5 micrómetros de diâmetro, são consideradas prejudiciais por conseguirem alojar-se no interior dos pulmões e serem transportadas para outros órgãos.

Em toda a cidade, são já vários os casos reportado de pacientes que se queixam de dores no peito, falta de ar e ardor nos olhos.

O número de pacientes aumentou como é evidente”, disse o pneumologista Deepak Rosha do Hospital Apollo, um dos maiores hospitais privados em Deli, citado pela CNN. 

 

Penso que a situação nunca foi tão grave em Deli. Irrita-me que tenhamos chegado a este ponto”.

Como uma "câmara de gás"

Respirar ar com um índice de PM2.5 entre 950 e 1000 é considerado o equivalente a fumar cerca de 44 cigarros por dia, de acordo com o Instituto Independente de Ciência da Terra de Berkeley.´

Segundo os especialistas, a poluição em Nova Deli resulta de uma combinação composta por gases de escape dos veículos a motor, fumo das queimadas agrícolas, lixo e poeira.

Arvind Kejriwak, ministro chefe de Deli, descreveu a situação na capital indiana como “uma câmara de gás”.

Como consequência deste fenómeno atmosférico, o stock de máscaras faciais e purificadores de ar esgotou na cidade. A população está a fazer o que consegue para tentar minimizar os efeitos nocivos da poluição.

Porém, a maioria da população é incapaz de suportar os custos destas medidas preventivas e é forçada a lidar com a poluição atmosférica. Há quem se queixe de ficar com os olhos lacrimejantes, da tosse e de estar quase a "sufocar".