Os militares da Unidade Controlo Costeiro, na qual estão integrados elementos da GNR, resgataram na terça-feira 21 pessoas que estavam numa embarcação próxima da ilha de Kos, na Grécia, revelou hoje aquela força.

Em comunicado, a GNR adiantou que os militares da Unidade Controlo Costeiro (UCC), que se encontram destacados na missão da Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (FRONTEX) na Grécia (Poseidon Rapid Intervention), resgataram durante a madrugada de terça-feira, próximo da ilha de Kos (Grécia), uma embarcação de recreio com seis metros, com 21 pessoas a bordo.

As 21 pessoas, entre as quais nove menores (sete crianças) e seis mulheres (uma delas grávida) não apresentavam ferimentos, segundo a GNR, tendo sido entregues às autoridades de segurança locais.

“Este resgate ocorreu durante uma ação de patrulhamento marítimo que estava a ser realizada pela embarcação (Lancha de Vigilância e Interceção) da UCC, tendo os militares recebido uma comunicação da Guarda Costeira Helénica a reportar um pedido de socorro de uma embarcação junto à fronteira com a Turquia”, refere o texto.

A GNR indicou que a embarcação socorrida encontrava-se à deriva a duas milhas da costa grega, não possuindo propulsão por falta de combustível, tendo a mesma sido rebocada pelos militares até ao porto de Kos.

A GNR participa nesta operação da FRONTEX, com 16 militares e uma lancha de vigilância da UCC, na ilha grega de Kos desde o dia 1 de abril e até ao dia 30 de setembro de 2016.

De acordo com a GNR, o principal objetivo desta operação “é prevenir, detetar e fazer cessar ilícitos relacionados com a imigração ilegal, o tráfico de seres humanos e o tráfico de droga, contribuindo para a salvaguarda de vidas humanas no mar”.

No ano passado foram detetados 3. 067 migrantes ilegais, socorridas 1.265 pessoas, tendo sido percorridas 3.800 náuticas.